Ensino / Aprendizados a alguma distância

Vamos conversar sobre plataformas, software, metodologias e politicas para ensino e aprendizado na internet?

Esse post faz parte da categoria #nos, para pensar uma programação construtiva compartilhada nos próximos meses. É um post wiki, você pode editar para acrescentar ou modificar o conteúdo por aqui. E aberto a comentários abaixo.

Surgiu uma conversa sobre plataformas no Telegram que vou trazer prá cá usando formatação de html para citar as falas abaixo. Fiquei na dúvida se deveria fazer isso ou não, mas resolvi seguir a regra do meu antigo trabalho, na dúvida, faz e peça desculpas depois :grimacing: :

Priscila Gonsales:

Pessoal, um desenvolvedor da comunidade Moodle vai desenvolver um novo formato de curso com uma interface mais amigável para comentários e @mention. É uma demanda antiga de quem trabalha com SL na educação. Só que, claro, ele não tem financiamento. Abriu um kickante. Quem puder contribuir, vai ser lindo!
https://www.kickante.com.br/campanhas/novo-formato-curso-moodle

Felipe F:
Tenho uns esboços de uns anos atrás que não foram pra frente, mas já nessa reflexão sobre formatos mais sociais pra aprendizado online. O foco não era em professores, e sim em comunidades de aprendizado p2p. Mas se for útil pra ele, registrei umas ideias aqui

https://wiki.ubatuba.cc/doku.php?id=ubalab:itinerarios

Priscila Gonsales:
Legal! Vou encaminhar

@fsfonseca o Mano, desenvolvedor moodle, mandei pra ele o seu estudo e ele pediu pra te encaminhar: https://moodle.net/

Felipe F:
Opa, moodle federado. Interessante, vou ver.

Georgia Nicolau:
bom dia gte! o desenvolvedor que trabalha com a gte no procomum tá trabalhando numa solução de wordpress para nossos projetos de aprendizagem que tiveram que migrar pro online recentemente… https://www.youtube.com/watch?v=yGDwk4z9EEg

Felipe F:
Ai, wordpress… :see_no_evil:

Georgia Nicolau:
fala efe! que tal vc desenvolver um pouco a ideia ao invés de fazer uma carinha? eu não sei, mas pelo que entendi a proposta do grupo é ser diversa e mirando outros futuros onde a gte constrói outras formas de convivência e aprendizagem. se for issso mesmo, que tal a gte construir um espaço, dada as devidas limitações de ferramenta, onde as pessoas se sintam cuidadas e valorizadas pelo seu saber?

pq se for só uma confra de desenvolvedorxs progressistas, e amigos da velha guarda, um clune fechado, eu realmente nao me encaixo

nunca me encaixei aliás

mas sigo na investigaçcão como faço há mais de anos, tecendo com várias pessoas, inclusive mtas delas aqui no grupo, sem mtas respostas, mas buscando tecer outras formas de existencia política onde cada palavra importa e todo saber é válido.

beijos bom dia

Felipe F:
Desculpe, @georgianicolau. Desculpe o mau jeito, tens razão. Eu tenho uma birra antiga com a tentativa de fazer com que o Wordpress seja esticado pra tentar resolver todas as diversas necessidades que as pessoas têm de fazer sites. Já peguei muito wordpress customizado com dezenas de plugins que depois de um ou dois anos vira um pesadelo de atualização e segurança.

Georgia Nicolau:
entendi, efe. eu nao sou desenvolvedora e não sei desse histórico agradeço vc me explicar.

Felipe F:
Existem excelentes alternativas de sistemas livres e abertos para educação a distância, mais robustos e estruturados que o wordpress.

Wordpress é bom e fácil de usar pra fazer blogs. É exagero quando se trata de fazer sites simples com meia dúzia de páginas alimentadas por 1 ou 2 pessoas. E do tanto que eu vi, é inflexível demais (e principalmente, exige muita dedicação para manter atualizado e seguro ao longo do tempo) pra organizar comunidades, comércio, aprendizado ou afins.

Já tive servidor inutilizado porque decidi hospedar um wordpress pra um amigo e ele esqueceu de aplicar as atualizações de segurança por alguns meses :stuck_out_tongue:

Pra mim montar um sistema mais complexo usando Wordpress é tão sustentável quanto montar uma comunidade usando grupos de Facebook

Priscila Gonsales:
sobre EaD trabalho há anos e recomendo muito o Moodle para cursos e oficinas on-line!

Georgia Nicolau:
a gte não tem servidor que sustente um moodle por ora e nem somos uma org de Ead então estamos testando. por ora, nosso desenvolvedor manja mto de wordpress e tem estudado váris coisas. dps quem se interessar posso compartilhar
como ficou
a gte tá aprendendo tb
acho que é sobre isso né
:wink:

Felipe F:
Legal, acho que isso (plataformas de EAD/aprendizado distribuido) pode ser um dos eixos pra uma conversa construtiva no futuro próximo. Lancei ali na rede, vamos construindo?

Ensino / Aprendizados através da internet

Copiando @ArlekinoDeIoio @fabsbalvedi Priscila e quem mais tiver interesse no assunto.

Cátia Kitahara:
Ixi! Ah para! Vc está desatualizado, já faz uns bons 5 ou mais anos que o WordPress tem um sistema de atualização automática no background. Essa mania de botar a culpa no WordPress pelos furos de segurança que ocorrem porque o sistema fica largado já era faz tempo! E olha que eu tenho vários motivos pra ter birra do WP depois de ser demitida da Automattic, mas essa desculpa não cola! :unamused: Concordo que o WordPress não é a melhor opção pra desenvolver sistemas diversos, fui “evangelizada” pelo Leo Germani e cia por longos 4 anos de Hacklab. No caso de educação talvez discorde, pois nada mais é que gerenciamento de conteúdo. E mais: tem aquela frase que eu compartilhei aqui alguns dias atrás: “se não for acessível, não é revolucionário”. Não é a toa que eu permaneço como uma das poucas mulheres na área. E olha, já faz bem 14 anos que o WordPress me emancipou da dependência de programador.

Felipe F:
Ok, devo estar desatualizado sobre WordPress mesmo. Desisti há mais tempo :grin:

E discordo que educação seja gerenciamento de conteúdo, mas prefiro conversar sobre isso lá

Ensino / Aprendizados através da internet

Desobediente Civil:
Eu tenho muitas opiniões críticas a WordPress tecnicamente embasadas porque eu usei WordPress por muito tempo, usei alternativas por algum tempo mas a maioria das minhas críticas são relacionadas a gosto pessoal, então eu não discuto sobre isto

Agora as minhas opiniões carregadas de emoção são sempre que nem a carinha que o efe fez por uma razão não técnica

Eu sou um para raio de instalação de WordPress mal feita ou site mal administrado, ou servidor hackeado, enfim, quando tudo da errado cai no meu colo. As lembranças que eu tenho de mexer no site dos outros é sempre quando a cacaca tá feita e ninguém mais consegue arrumar. Se tem gente que é feliz com WordPress, nunca me chamam pra gozar junto. É só quando falta lágrima pra chorar.
Não sei se isto é porque eu tenho cara de chorão ou mais porque realmente eu adquiri os conhecimentos necessários pra consertar as coisas quando não têm mais conserto.

De qualquer forma eu já percebi faz tempo que as pessoas não gostam de me ouvir reclamar do WordPress e não raramente o que eu disser vai ser ofensivo então eu guardo pra mim

@on2rup:
Só para acrescentar um tintin de quem lutou um bocado com WordPress, para tudo, até para Comunidade de Alunos, nós anos passados. É um aprendizado que resolve uma emergência, mas, não se sustenta.

Desobediente Civil:
Eu tinha um blog que eu gostava que na verdade eram nove blogs, cada um com uma cor de chakra, abrigava uma das minhas personalidades e tinha um título, um tema, uma cor e um design específico praquela personalide e pras coisas que aquela pessoa escrevia

A melhor solução foi WordPress porque eu (a personalidade sysadmin) administrava todas as instalações num servidor só, o tema era o mesmo em todos sites e toda correção de segurança ia pra todos sites de uma vez só

Apesar de ter nove Iuris escrevendo só tinha um Iuri que fazia a manutenção (o sysadmin) e só um tomava decisões de design (o artista), então não virava bagunça o wordpress

Ah e tinha plugins que alguém já escreveu - não sei quem e não me importa - pra distribuir os blogs pras inúmeras redes sociais

Inclusive eu não consigo mais apagar muito dessa época da internet, se espalhou demais

Essa é a minha experiência feliz com wordpress

Arlekino De Ioio:
Estou aqui justamente discutindo a organização de coletivos locais nas comunidadades escolares e universitárias pra discutir, assunto por assunto, as nossas melhores escolhas para a situação da educação com distanciamento social.

Desobediente Civil:
Talvez inválida para o debate porque é experiência individual e eu não me envolvi com mais gente de wordpress nessa época

Muito obrigado pelo #garimpo

2 Curtidas

E discordo que educação seja gerenciamento de conteúdo, mas prefiro conversar sobre isso lá

Sim, concordo com você, @efeefe ficou mal colocado. Não acho que educação seja apenas gerenciamento de conteúdo, mas acho que uma parte sim e para a parte que abrange conteúdo - criar, editar, consumir, o WordPress cumpre muito bem a função.

Wordpress é bom e fácil de usar pra fazer blogs. É exagero quando se trata de fazer sites simples com meia dúzia de páginas alimentadas por 1 ou 2 pessoas. E do tanto que eu vi, é inflexível demais (e principalmente, exige muita dedicação para manter atualizado e seguro ao longo do tempo) pra organizar comunidades, comércio, aprendizado ou afins.

Também faz tempo que o WP não é mais só pra blogs, hoje então que está competindo com site builders e plataformas de ecommerce, essa discussão tá velha. Fala com o Leo e o Rodrigo Primo. :wink:

Eu particularmente acho que deveriam ter investido na parte de blogs e redes sociais, dentro do panorama das redes de hoje, o WordPress.com é a mais bacana e mais livre que tem. Ainda tem gente legal lá, lançando funções bacanas pra publishers como o botão de monetização de subscribers. Pena que o Reader de feeds está abandonado e esconderam funções bacanas como listas (dava pra criar listas e categorizar os feeds que vc segue, e os feeds podem ser de qualquer site, não só wp) e favoritos (dava pra salvar pra ler depois).

1 Curtida

Sabe, eu tenho conversado com os professores por aí e tenho percebido que outro grande problema, além da tecnologia em si, é o acesso à internet de qualidade por alunos…ou pelo menos a alguma internet. Na verdade, esse tem sido o imenso problema para acessar as comunidades em diversas frentes, não só a educacional. Aqui em Ubatuba todos vivenciamos isso de alguma forma: duas ou 3 opções de internet (caras) que sempre caem, e quase nada que seja público ou acessível.

3 Curtidas

O episódio de hoje do podcast The Daily do New York Times fala sobre os desafios de uma professora de quarta série nos EUA. É um outro contexto, mas interessante ver que tem situações parecidas. Peço desculpas antecipadas pela referência em inglês.

1 Curtida